No Campo do Amor

Imprimir
PDF
No campo do amor,
o condutor é o Cristo, e os conduzidos somos nós, que a feição de animais bravios, nos recusamos a aceitar as rédeas da disciplina.

No campo do amor,
O mestre é o Cristo, e os alunos somos nós, que a feição de crianças rebeldes, nos recusamos a aceitar os seus ensinamentos.

No campo do amor,
o médico é o Cristo, e os enfermos somos nós, que a feição de doentes revoltados, não aceitamos o medicamento necessário ao nosso restabelecimento.

No campo do amor,
o Cristo pede a nossa ajuda para o burilamento do mundo, e nós, por orgulho e vaidade nos cristalizamos nas influenciações daqueles que se nutrem da desordem.

No campo do amor,
o Cristo nos ofertou o seu evangelho, alicerçado nos ensinamentos divinos, e nós como homens animalizados o condenamos e pregamos num madeiro infamante.

No campo do amor,
o Cristo nos espera de braços abertos, prontos para nos aconchegar ao seu peito de luz, mas a cada um de nós compete buscar o amor por seus próprios méritos, porque ele nos oferta os ensinamentos, e nos deixa os exemplos, mas cabe a nós mesmo modificarmos a nossa postura mental, afim de sintonizarmos com as vibrações do amor.



MIGUEL DELAVINI
(mensagem recebida por Paulo Joaquim Pinto Guedes,
na Soc. Esp. Cristã Joana D’arc, em 09/02/95)