A Pena De Morte

Imprimir
PDF

A humanidade está passando por um período em que o homem, adormecido em suas virtudes morais, busca fazer uso da ultrapassada lei de talião. Cada um querendo fazer justiça com suas próprias mãos.

Políticos que se encontram em posições de suma importância para o aprimoramento das leis que regem as atividades humanas, dedicam-se ao incremento da pena de morte, esquecendo-se de que num país dito cristão, onde cultua-se os ensinamentos do Divino Mestre em diversos credos, não é admissível a implantação de uma lei que é totalmente contraria aos ensinamentos trazidos por Jesus.

Vemos o mundo concitando-nos à destruição daqueles que, supostamente, achamos maléficos à sociedade, esquecendo-se que Jesus nos pede para que sejamos mansos e pacíficos, pois assim herdaremos a Terra; que perdoemos aos que nos ofendem; que sejamos benevolentes para com o próximo; que sejamos indulgentes para com os erros dos outros; que não julguemos para não sermos julgados, pois com o peso que medirmos seremos medidos; que amemos os nossos inimigos; que oremos pelos que nos perseguem e caluniam; que façamos aos outros aquilo que gostaríamos que nos fosse feito.

Irmãos, pensemos com seriedade se estamos sendo ou não cristãos, se seguimos o mínimo necessário dos ensinamentos do Mestre Jesus.

Lembremos o quinto mandamento, advertindo-nos: “não matarás”. Não busquemos desculpas para praticarmos todos os tipos de atrocidades.

Jesus mostrou-nos, com sua passagem no orbe terrestre, que as suas palavras não eram uma vã filosofia, vivenciando cada ensinamento. Nos momentos derradeiros da sua existência corporal, teve a sublimidade de rogar: “pai perdoa-lhes, porque eles não sabem o que fazem”, demonstrando amor e a compreensão da necessidade que seus algozes tinham de ser ajudados e estendendo a mão, marcada pelo cravo, para o soerguimento daqueles que o haviam condenado.

Agora, irmãos, quando te falarem de pena de morte, lembra-te que Deus já te perdoou faltas que hoje te levariam à condenação se essa lei, dos homens, fosse implantada.

Miguel Delavini

(Mensagem psicografada por Paulo Guedes)