A Imortalidade da Alma

Imprimir
PDF

Queridos filhos do meu coração, venho vos falar sobre a imortalidade da alma.

Deus, em seu infinito amor, criou o homem dando-lhe a mente como instrumento sonoro para tocar na sinfonia Divina.

Vida constitui-se o maior espetáculo do universo!

Deus em sua infinita misericórdia escreveu a ópera do amor, colocando-te como ator principal no ato da tua vida.

Tua voz canta e encanta em meio a tantas no mundo.

Criou a lua e o sol para iluminar o teu espetáculo.

Fez da Terra o palco vivo, onde te é possível vivenciar o personagem da tua própria existência.

Para não te sentires só, nem achares que o show da vida é só para ti, obriga-te a contracenar com os mais diversos atores, que te fazem sorrir e muitas vezes chorar diante de todos, ou no silencio da tua alma.

O primeiro ato inicia-se na concepção e deságua no choro que anuncia a tua chegada.

Fecham-se as cortinas, e da infância pulas para o segundo ato onde tu, na flor da tua juventude, em meio a rebeldia, questionas tudo e a todos.

Mais uma vez as cortinas do teatro da vida fecham-se e reabrem para o amor união, onde contracenas com aquela ou aquele que viverá contigo até a decrepitude da velhice.

Descansas em meio ao júbilo do nascer e crescer dos filhos da tua alma.

O tempo passa e surge inesperado o derradeiro ato da vida, onde a experiência, anunciada em teus cabelos brancos, mostram a vida pelo prisma de Deus.

É o momento de consagração da existência, as cortinas cerram-se para se abrirem no palco do além, onde a vida ganha ares da imortalidade.

Tu, neste sublime momento, meditas e corre a mente célere pelos dias da tua existência, e em meio a lágrimas, que vertem silenciosas, cais de joelho em agradecimento ao criador do teatro da vida: Deus.

Carlos Duarte

(Mensagem psicografada por Paulo Guedes)