Deus - Miguel Delavini

Imprimir
PDF

Desde tempos imemoriais, quando a Terra passava por modificações importantes em sua constituição, antes mesmo do surgimento das primeiras formas de vida, Deus fazia-se presente com a beleza de sua criação.

Com o surgimento dos primeiros homens, começa a busca incessante da origem das coisas. Em seu primitivismo, começa o homem a classificar tudo aquilo que fugisse a sua compreensão, e que demonstra-se uma força superior , como Deus, surgindo assim, a crença nas divindades da natureza.

Utilizando-se do seu crescente desenvolvimento intelectual, e da descoberta das forças vivas que tinha em seu interior, surge para a humanidade os deuses antropomorfos, representando a sensualidade, o ódio, o amor e todas as outras virtudes e vícios encontrados no homem.

Surge Moisés no cenário da humanidade, trazendo a visão do Deus único, senhor supremo de todas as coisas, potência única na direção do mundo, o Deus do poder, o Deus do temor, aquele que punia e demonstrava toda a sua fúria a quem o contrariava, que marcava um povo como o escolhido, relegando os demais a perdição.

Com o avanço moral da humanidade, surge o advento do Cristo, que em suas revelações mostra o Deus pai, aquele que perdoa seus filhos, promete as bem-aventuranças aos que forem bons e justos, misericordiosos, brandos e pacíficos, puros de coração e pobres de espírito, e que deseja a vitória de seus filhos.

Passa a humanidade por grandes transformações de nível moral e intelectual, surgindo conforme o anunciado pelo Cristo o consolador prometido, trazendo revelações que ele não pudera fazer, por falta de maturidade da humanidade, relembrando aquelas que haviam sido esquecidas.

Revela-nos o espiritismo o Deus do amor, a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas, infinitamente soberano em seus atributos, aquele que está em todo o infinito, envolvendo em seu fluido divino todas as suas criaturas.

Só o Deus soberanamente bom e justo poderá manter-se diante dos mais incrédulos, só Ele manter-se-á perante a ciência e transformará toda a humanidade, ofertando a benção da reencarnação, onde seus filhos tem a oportunidade do aprimoramento moral e intelectual através do trabalho, e do resgate dos seus débitos pela dádiva do amor ou pelas teias do sofrimento; só Ele nos permite que conheçamos os nossos próprios erros, para corrigi-los e nos tornarmos espíritos perfeitos.

Miguel Delavini

(Mensagem psicografada por Paulo Guedes)