Festejos De Momo - Bezerra de Menezes

Imprimir
PDF

Durante os festejos de momo a psicosfera dos ambientes de folia vivenciam a putrefação do pensamento humano.

Estimula-se os desejos da carne através dos processos de indução mental que se estabelece com muita facilidade devido às formas pensamento que pululam pelas ruas.

A orgia é questão de sintonia com as trevas!

Onde o sexo se estabelece desabrocha a paixão, ficando o amor em segundo plano.

Ébrio de prazer, envolto nas drogas lícitas e ilícitas o homem volta ao estado de barbárie, imantando ao seu perispírito as energias deletérias, possibilitando o acesso aos arquivos de sua mente dos cobradores do pretérito, que ávidos estabelecem um conluio que por muitas vezes demandam séculos para serem removidos.

O que será do homem sem o amor como porto seguro nas horas de turbulência?

As consequências decorrentes das orgias de momo comparam-se as grandes pestes que já assolaram a humanidade.

Seja o homem o zelador da sua casa mental, optando pelas figuras de pura beleza; pelas letras que dignificam a poesia; e pela harmonia que transforma os sons em belas sinfonias.

Tu és e sempre serás o reflexo daquilo que elegeste para o teu coração!

Nos dias de momo, na carnificina do carnaval, façam o jejum do amor, para que encontremos os recursos necessários à enfermagem espiritual, que ocorre em meio aos desregramentos de toda espécie.

Os trabalhadores do Cristo devem estar aptos, pois o trabalho se avoluma cada vez mais, e sem a cooperação dos encarnados de boa vontade, pouco nos resta a fazer.

Sejam a usina de amor, gerando as energias que tanto precisamos para mover a máquina da solidariedade no socorro aos foliões.

Que o senhor Jesus nos proporcione os recursos necessários ao alívio do sofrimento dos nossos irmãos em humanidade!

Do humilíssimo de sempre!

Bezerra de Menezes

(Mensagem psicografada por Paulo Guedes)