Espelhos Das Vossas Almas

Imprimir
PDF

Quando os corações alimentados pelos sofrimentos da ausência inesperada de um ente querido, bate em desalinho, quanta angústia se reflete nos corações daqueles que partiram.

A dor sentida sem o consolo do amor e a fé na imortalidade reflete-se no coração do ente amado.

Cada lágrima vertida no desespero do quarto vazio, inunda as nossas faces, trazendo-nos ao encontro do mais atroz sofrimento.

Tudo que falas, sentes, refletem-se nos nossos corações.

Somos como espelhos das vossas almas, felizes ou desditosos, conforme o vosso entendimento.

Quando recordas, ao toque da vestimenta, os dias felizes que representaram a nossa vida, ilumina-se a estrada das nossas peregrinações, trazendo-nos o consolo ao coração.

Mas quando te desespera, a menor lembrança das nossas memórias, é como se uma adaga atravessa-se o âmago da nossa alma, proporcionando-nos angustia e desesperação.

Bem aventurado aquele que crê na Divina misericórdia, e ergue o pensamento aos planos superiores, rogando ao Pai o acolhimento daqueles que o antecederam na grande viajem, convicto no reencontro do amanhã.

Quantos caminham em meio à desesperação, causando desarmonia em ambas as esferas da vida.

Se soubessem, vocês que a verdadeira vida é a espiritual, não destrambelhavam as vossas emoções de tal maneira, que muitas vezes atentam contra a própria vida, em franco desrespeito as leis de Deus.

Valorizem o amor, ao invés da vida material, tenham a certeza de que alicerçado na fé tudo se supera, e que o bendito Senhor da vida proporcionará o reencontro nos paramos da felicidade.

Meimei

(Mensagem psicografada por Paulo Guedes)