O Homem e A Paz

Imprimir
PDF
Vivemos um momento crucial na transformação da humanidade.

Os dias passam céleres em direção ao amanhã.

Pensamos, e num piscar de olhos o que se afigurava o agora deixa de existir na configuração do presente, para habitar o nosso pretérito.

Aflições surgem no coração do homem devido a imprevisibilidade do amanhã.

Como caminhar resoluto, com passos seguros, contornando os obstáculos, sem perder a confiança em Deus e em si mesmo?

O homem, escravo do seu subconsciente, vive as noites obscuras do seu passado, trazendo à tona os medos e as tendências negativas acumuladas nas vidas transatas.

A proximidade da separação dos bodes e das cabras, anunciada por Jesus, através do Seu verbo maravilhoso, convoca o homem à transformação imediata.

Sem o encontro consigo mesmo, o ser permanece acorrentado ao desequilíbrio da sua psiqué.

Matriculado na escola da vida, caem as escamas dos seus olhos, e a claridade da verdade apresenta-se incólume à sua frente.

A liberdade surge como conquista inalienável do conhecedor da verdade, deixando-o com a sensação de estar inserido no incomensurável universo de Deus.

Olha para dentro de si e percebe o quanto ainda a mudar.

Vê o seu coração repleto de germens da virtude, e sente em plena expansão o seu ser.

Cresce em direção a Deus convicto da vitória do amor.

A paz, a bendita paz, instala-se definitivamente e o amanhã já não o preocupa.

Sabe que Deus tudo provê, cabendo a nós, os famintos do amor, fazer a colheita nas terras benditas do Senhor.

Irmão Cândido

(Mensagem psicografada por Paulo Guedes)