O Deus de Amor

Imprimir
PDF
O Deus de amor que proporciona a felicidade permite o sofrimento como remédio para as nossas mazelas.

O Deus de amor que proporciona a vida permite a morte como fonte renovadora das possibilidades.

O Deus de amor que proporciona o perdão permite a dor como ensinamento contra a magoa e o rancor.

O Deus de amor que proporciona a união permite a discórdia devido ao endurecimento dos corações.

O Deus de amor que proporciona a fraternidade permite o egoísmo para que aprendamos com nossos próprios erros.

O Deus de amor que proporciona a união do homem com a mulher permite as desavenças para que encontremos o amadurecimento espiritual.

O Deus de amor que proporciona a vinda dos filhos permite a perda dos mesmos como ensinamento do valor da família.

O Deus de amor nos proporciona os tesouros celestiais, e nós como fontes geradoras do egoísmo, do ódio e do rancor, adquirimos com os nossos atos dores necessárias ao nosso aprimoramento espiritual.

Todo ato que for contrário às leis divinas, contidas no Evangelho de Jesus, é fruto da incompreensão dos homens, não podendo assim estar de acordo com a justiça Divina.

Só quando o homem entender que Deus quer a união de seus filhos pelos laços do amor, e que a felicidade e o sofrimento encontram-se próximos de nós, dependendo das nossas atitudes para sermos felizes ou vivermos envoltos no sofrimento, é que se resignará perante os designíos de Deus, tornando o mundo um recanto de paz e felicidade.

Miguel Delavini

(Mensagem psicografada por Paulo Guedes)